Vamos falar sobre: Intervenção militar! - Descrevendo Nuvens
14 • abr • 2015
textos category image
Joicy Kelly

Vamos falar sobre: Intervenção militar!

 Bom gente, eu costumo dizer que politica, religião e futebol não se discute! Opinião é opinião, e quando se gera uma discussão sobre esses temas, ninguém é visto como certo e acaba gerando uma tensão, e eu queria deixar claro que  não sou a maior entendedora de política, eu também não sou entendida de leis nem nada, apenas queria falar sobre o que é e como funciona, pra isso eu estive estudando e lendo a respeito. 

Eu eu penso assim, a internet, professores e os livros estão a disposição pra lermos e aprendermos, então não precisamos necessariamente fechar os olhos e ignorar a política, eu acho que pelo menos o básico todos devíamos buscar saber, afinal de contas, tá ruim mas é nosso país, nós moramos nele e precisamos pelo menos tentar deixá lo melhor!
 O caso é que eu tenho visto nas redes sociais muitas pessoas pedindo a intervenção militar, tá que eu não entendo muito de política, mas eu estudei bastante história e fiquei intrigada com isso, então eu achei que caberia aqui no blog um tema mais sério e educativo! Porque eu não tenho certeza se cabe uma ditadura no nosso país. Bom, na verdade eu acho que não cabe mesmo, mas como eu estava dizendo, não vim aqui pra gerar um debate, eu sugiro apenas irmos um pouco afundo na história pra entendermos como funciona a intervenção militar, pra saber como foram os anos que tivemos sobre regime militar e etc…
 Bom, antes de mais nada precisamos saber o Básico: 

O que é ditadura? 
Ditadura, é um sistema de governo onde todos e quaisquer poderes do estado estão concentrados em um uma única pessoa, ou um único partido. O Ditador exerce poder e autoridade absoluta e não existe democracia, ou seja a população não tem o direito de participar de nada. Extingue se o poder Legislativo, Executivo e Judiciário, todos esses poderem ficam apenas em uma instância. Tem muito do governo totalitário, resumidamente a palavra ditadura serve descreve uma situação em que alguém exerce uma autoridade absoluta.
A Ditadura Militar por sua vez, é quando toda a autoridade e poder politico é controlado por militares. A ditadura militar chega ao poder por meio de um golpe de estado, o que significa que com apoio de forças de segurança, um governo legítimo é derrubado.
Quando a ditadura não consegue o apoio da população, ocorre um apelo, que falta com respeito aos direitos humanos, e persegue os defensores da oposição. 

O que é intervenção militar?
Trata se do uso das forças militares (exercito, marinha e aeronáutica) para controlar determinadas situações caóticas. 
A intervenção militar internacional, é quando enviam militares de um país, para um país terceiro com o intuito de resolver uma situação e controlar temporariamente os interesses daquele país. Por exemplo quando está acontecendo uma guerra civil intensa, ou quando falta um comando que garanta a segurança, ou até mesmo quando o governo vem negligenciando os direitos da população. Muitos governantes usam a intervenção militar por interesses terceiros, alegando querer ajudar, porém é válido lembrar que cada país tem sua jurisdição e deve por direito ter sua autonomia reconhecida, sem intervenção de países estrangeiros. 
 O artigo 142 da constituição brasileira, este define que as Forças Armadas, e estão subordinadas à “Autoridade Suprema do Presidente da República”. Ou seja, tanto nas situações normais como no estado de sítio, quem manda nas Forças Armadas é a Presidente da República.

Intervenção militar no Brasil, entenda:
  No ano de 1964, o país estava em crise política, e o mundo no ápice de uma guerra fria,  o atual então  presidente João Goulart (após renuncia do presidente Jânio Quadros) teve o mandato marcado pela abertura de organizações sociais. Pessoas como estudantes, trabalhadores assalariados e organizações populares ganham espaço, o que causa uma certa preocupação aos conservadores , no caso, empresários, banqueiros, a Igreja, militares e a classe média, que temiam que o Brasil guinasse para o socialismo, eles temiam um golpe comunista (entenda o comunismo aqui ). 

Os partidos da oposição culpavam João Goulart de estar armando um golpe de esquerda,  e depois de um grande comício na central do país, onde Goulart defendia as reformas de base e prometia mudanças radicias na reforma agrária, educacional e econômico no pais, os conservadores organizaram uma manifestação com o nome “marcha da família com Deus pela liberdade”, que reuniu milhares de pessoas nas ruas. 
                           

A tensão e o clima de crise politica aumentaram, tropas foram a ruas, e,  pra evitar uma guerra civil, no dia 1 de Abril, João Goulart deixa o país e foge para para o Uruguai. Alguns dias depois ocorre a intervenção militar.
 Militares assumem o poder, e a partir daí, é criado e instalado diversas leis, que desestabilizavam funcionários públicos, cassavam se mandatos de políticos opositores, chega ao fim a democracia, estabelece se as eleições indiretas para presidente, dissolve se os partidos, os cidadãos tem seus direitos constitucionais cancelados,  chega ao fim o direito de Habeas Corpus. 
 Com o tempo a repressão militar e policial aumenta, e chega o que conhecemos como “anos de chumbo”  (1969-1974), que foram os mais duros. Direitos e expressões artísticas foram completamente censuradas, muitos músicos, professores, artistas, escritores foram investigados, caçados presos, torturados e mortos. A censura era absurda, e qualquer um com pensamentos comunistas ou contra o regime, era considerado terrorista.
 A ditadura militar durou vinte anos (de 1964 á 1985), e logo no primeiro dia já ocorreu tortura, a primeira vítima foi o líder camponês e comunista Gregório Bezerra. No dia do golpe, o coronel Vilocq amarrou Gregório Bezerra com cordas, ordenando que soldados o arrastasse pelas ruas de Recife, humilhando-o verbalmente, espancando-o com uma vareta de ferro. O coronel incitava o povo para ver o “enforcamento do comunista”. Diante do horror, religiosos telefonaram para o general Justino Alves Bastos, que pressionado, impediu um martírio. 
 Gregório Bezerra levou coronhadas pelo corpo, além de ter os pés queimados com soda cáustica. No dia do golpe, Recife foi um dos lugares que mais sofreu atrocidades dos golpistas, tendo civis agredidos e mortos em passeatas que protestavam a favor da democracia. 
 Gregório foi apenas o primeiro de muitos, durante 20 anos atrocidades como essa aconteciam com muita frequência, temos até hoje desaparecidos, que foram mortos e torturados, e seus corpos nunca foram encontrados. Durante a ditadura, uma lista foi divulgada com o nome de todos os desaparecidos, essa lista pode ser encontrada no site www.torturanuncamais-sp.org  junto com uma ficha de informação.

                                                                                                   (homem sendo arrastado por militares)

Apenas em 2014, as forças armadas “abriram” os arquivos da ditadura, e assumiram que ocorreram sim torturas e mortes. 
Economicamente falando, o país vinha crescendo rápido, o período de 1969 a 1973 ficou conhecido como “A época do milagre econômico”. O PIB crescia, a inflação estava próxima aos 18%, Foram pegos muitos empréstimos exteriores, e investido internamente, o que gerou muitos empregos e aumentou a infra estrutura do país, grandes obras foram realizadas como a ponte Rio-Niterói, e a rodovia Transamazônica. 
Porém, essa divida uma hora teria que ser paga, o crescimento gerou um custo altíssimo e no levou a uma dívida externa elevada demais para os padrões do Brasil.
 Em 1979 o governa aprova a lei que aceita novamente o pluripartidarismo no país, que faz os partidos voltarem a funcionar normalmente, além de muitos outros serem criados. 
No fim do governo militar, O Brasil estava cheio de problemas. A inflação muito alta, e também a recessão. Em 1984, os partidos da oposição, junto com artistas,entre outras milhares de pessoas vão as ruas, e dão início ao movimento Diretas já, para garantir o direito as eleições diretas naquela ano, porém a emenda não foi aprovada ainda naquele ano pela câmara de deputados.
No ano seguinte o colégio eleitoral elegeria Tranquedo Neves como novo presidente, que fazia parte da união democrática, um partido da oposição junto com o PMDB  e com a frente liberal. Era o fim do regime militar,  porém Tranquedo Neves veio a falecer antes de assumir o mandato, e quem ficou no poder foi seu vice José Sarney. Em 1988 foi aprovada a nova constituição do Brasil que estabeleceu  os princípios democráticos no país, e apagou os rastros da ditadura…
Bom, eu tentei fazer um resumo do resumo, pra explicar em poucas palavras o que é esses movimentos que tanto têm sido comentado! Espero ter esclarecido algumas  dúvidas, claro que ainda tem muito a ser falado, e existem também muitas controvérsias e opiniões contrarias, há quem diga que a intervenção militar não é um golpe, apenas garante as forças armadas estarem no poder por dois meses, para depois ter novas eleições, porem na constituição não me soa assim, e foi o que tentaram fazem em 1964… 
 O post está aberto pra comentários, dúvidas, sugestões e opiniões!! Por favor, sintam se a vontade!! 

                                                                    



Deixar um comentário

8 Respostas para "Vamos falar sobre: Intervenção militar!"

Graziela Oliveira
15-04-2015 @ (01:40)

ficou ótimo o post! tem muita gente que acha que é a solução mas não penso por esse lado!
legal vce ter feito o post pra esclarecer um pouco mais sobre o assunto!

http://www.blogamorarosa.com

Responder


Joicy Kelly - abril 15th, 2015 em 12:19 pm respondeu:

Obrigada, que bom que você gostou, era bem isso que eu tentei fazer, esclarecer o assunto, porque eu acho que muitas vezes as pessoas pedem e falam coisas sem ter conhecimento sobre o assunto!!

Responder


Lolla Camelo
15-04-2015 @ (02:56)

Eu adorei o que voce escreveu
E vou deixar minha opinião ( claro né hahaha) eu sou totalmente contra a intervenção militar, mas totalmente mesmo, com todas as letras. A minha mãe viveu toda essa época de tortura e ela mesmo disse que quem está pedindo intervenção militar, com toda certeza não se interessa muito por história, porquê com a juventude de hoje seria um caos total! Seriamos obrigados a abrir mão de diversas coisas que hoje nos amamos, até nas nossas redes sociais seriamos obrigados a tomar cuidado com o que falamos, ou seja, liberdade de expressão seria 0! Eu também não sou a favor do atual governo, mas a maioria optou pela Dilma, e o que eu posso dizer é, se está ruim com ela, vai ser bem pior sem ela.

Beijos,
rodoviadezenove.blogspot.com.br

Responder


Joicy Kelly - abril 15th, 2015 em 12:25 pm respondeu:

Sua opinião é muitíssimo bem vinda linda!!! Então, a minha opinião também é totalmente contra a ditadura, mas eu acho que muitas vezes, as pessoas falam sem conhecimento, essa foi minha motivação pra vim aqui escrever!
Quanto ao atual governo, infelizmente temos que aceitar que vivemos numa democracia e a maioria vence, mas essa crise toda também é algo antigo que vem acumulando, e tirar a Dilma do poder não vai resolver nada, precisamos de uma reforma política, não de um impeachment!

Responder


Jéssica Marques
15-04-2015 @ (23:14)

Oi, Joicy. Se tem uma coisa que se viu bastante nessas manifestações recentes foi pedindo a intervenção militar, na minha opinião, a maioria das pessoas são as que não tem conhecimento sobre o assunto ou não passaram por essa fase que o Brasil teve. Achei legal trazer esse assunto pro blog, são poucos os que eu vejo falando de política.
Concordo muito com a tua opinião…
Beijinhos
radioactivebookss.blogspot.com.br

Responder


Joicy Kelly - abril 16th, 2015 em 1:15 pm respondeu:

Obrigada!!!!! Eu também acho que esse é o ponto, estão falando sem saber!!!
Beijos, obrigada pela visita!!!

Responder


Cristiane Oliveira
17-04-2015 @ (05:36)

Oi querida ♥
Nossa, que rico post! Eu entendo que a maioria de nós tenta fugir desse tipo de assunto na internet para não gerar discórdia ou desentendimentos inúteis, mas acho que nesse caso precisamos nos manifestar.
Gente, eu acho incrível, difícil de acreditar inclusive, que hajam pessoas pedindo a tal Intervenção Militar. Eu acho isso o cumulo da ignorância (social e politica), do egoismo e da falta de respeito. Egoismo, pois eles sabem SIM, que na ditadura havia torturas, mortes, desaparecimentos, entretanto o que eles pensam é: "- Não vai acontecer comigo." E falta de respeito pq é cuspe na cara de quem morreu pedindo democracia, seus familiares sobreviventes e pessoas que sobreviveram, mas que tem feridas incuraveis até os dias de hoje (como meu pai).
Espero que essa onda de protestos violentos e manipulação da mídia passe. A presidenta foi eleita democraticamente, se querem outro candidato, aguardem 4 anos. O que eu acho que será trágico…um candidato de direita no poder. Não sei que idade tu tens, não sei se vivesses com idade suficiente para entender os anos 90, a pobreza generalizada que era. Meu irmão mais velho não fez faculdade, com muita dificuldade terminou o médio….e eu estou fazendo mestrado. Olha a diferença…mas enfim. Não vamos entrar nessa questão!
Beijinhos, parabéns pela postagem!

Responder


Joicy Kelly - abril 17th, 2015 em 12:52 pm respondeu:

Muito obrigada!!!! Então, eu concordo muito com você!!! Em relação a atual situação da nossa política, eu acho que precisamos de um reforma na política inteira, porque essa crisem vem vindo de anos atrás…Eu acho que hoje vivemos num meio termo, por um lado algumas coisas melhoram bastante, mas por outro está caótico! No fim, tirar apenas um presidente do poder não vai resolver nada!!
Obriga pela visita e por vim expressar sua opinião!! <3

Responder


Último vídeo

Arquivo calendário

abril 2015
DSTQQSS
« mar maio »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930 

Pinterest

  • Como usar a sua park
  • Como usar veludo? Ca
  • 17991117_10911554143
  • Parece que 2016 foi
  • laura stone jeans e
  • butterfly tattoo / f
  • What insect is more
  • Preto Ombro Tatuagem
  • Veja nossa seleção c
Follow Me on Pinterest

Descrevendo Nuvens - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017 - Ilustração por Juliana Rabelo