Estudo comprova que treinar regularmente aumenta a eficácia de vacinas

 

Treino Regular

 

Em um ano em que todo mundo está falando sobre vacinas e sobre os efeitos das vacinações, especialmente após a pandemia do COVID-19, a revista Sports Medicine (2021)  acaba de publicar um estudo com resultados bastante animadores.  De acordo com os dados, a atividade física diminui o risco de desenvolver e morrer de doenças infecciosas e também aumenta a resposta imunológica das vacinações. Ou seja, ser uma pessoa ativa traz inúmeros benefícios, inclusive na eficácia das vacinas. Segundo os pesquisadores, pessoas que se exercitam têm 37% de diminuição no risco de mortalidade em casos de infecções adquiridas em comunidade e 31% menos chances de contrair infecções dessa mesma natureza. Além do mais, a concentração de anticorpos após vacinas é bem maior quando a pessoa segue um programa de treinos e tem regularidade.


Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores realizaram uma análise de estudos publicados ao longo de 40 anos (de 1980 a 2020) e em sete banco de dados distintos ao redor do mundo. As pesquisas incluíram apenas maiores de 18 anos e retiraram atletas de alta performance, até porque eles têm um desenvolvimento corporal e sistêmico diferentes do restante da população. Foram analisadas mais de 500 mil pessoas, o que dá bastante respaldo para os resultados demonstrados.


Alguns pontos chaves dessa mesma pesquisa indicam que as vacinas se tornam mais eficazes quando administradas depois de um programa de treinamentos, aumentando em 50% a probabilidade de ter uma contagem de anticorpos mais alta. Em entrevista ao site Eu Atleta, o endocrinologista Ricardo Oliveira, não sabe ainda ao certo de que forma, mas como outras investigações em campanhas de vacinação contra a gripe já haviam apontado, pessoas ativas mostraram uma produção de anticorpos mais eficiente após serem vacinadas quando comparados a grupos sedentários.


Quando o assunto é sistema imunológico, a regularidade é bem mais importante do que a intensidade. Apesar de muitas pessoas pensarem de maneira diferente, a quantidade de tempo que você se exercita não é necessariamente melhor para sua saúde. Exercitar-se por 30 minutos, por exemplo, de maneira moderada, mas com boa frequência, diminui os riscos de se desenvolverem doenças. Seguindo essa lógica, podemos afirmar que o exercício em dose baixa ou em dose alta demais é ruim para sistema imunológico, enquanto na dose certa é um aliado da imunidade.


Por isso e por tantos outros motivos, é muito importante manter uma rotina nas suas atividades físicas. Um outro estudo publicado no British Journal of Sports Medicine, concluiu que pessoas sedentárias estão muito mais propensas a ter agravamentos da Covid-19, serem hospitalizadas e até morrerem do que pessoas fisicamente ativas. Dessa forma, o exercício físico regular pode ajudar a proteger contra as formas mais graves do vírus. Em 2020, uma outra pesquisa conduzida por pesquisadores brasileiros também já havia apontado que a prática de atividades físicas pode reduzir em 34,3% a prevalência de hospitalizações por COVID-19, desde que essas atividades tenham uma intensidade mínima. 


Movimentar-se é necessário sempre e são muitos os motivos para você ser uma pessoa ativa. Esses estudos apenas solidificam ainda mais a importância de realizar atividades físicas, não importa qual seja ela. O mais relevante na escolha é entender o seu corpo, as suas limitações e também as suas preferências. Quais são as modalidades que te dão mais prazer e mais vontade de sair da cama? Escolha a(s) sua(s) favorita(s) e implemente-a(s) no seu dia a dia. Encare a atividade física como um ato tão básico quanto escovar os dentes, assim você vai realmente levar a sério e ter um compromisso consigo mesmo e, claro, com a sua saúde e bem-estar. 
 

 

 

 

 

Blog post relacionado